Os esquecidos

Homem

Eles não têm casa,
Dormem no chão.
Para alguns, são desgraçados
Que não merecem um pão.

São pobres, descalços,
Sem roupas e sem amigos,
Pois vivem nas calçadas
Procurando um abrigo.

Esses homens pobres
Necessitam de compaixão
Eles não merecem sobras
E nem o pé no chão.

Vivem à procura de teto,
Fugindo da solidão.
Muitos não lhes dão afeto
E nem um pedaço de pão.

Essa é a consciência bruta
Das pessoas que não conseguem ver
O seu semelhante
Que não conhece o amanhecer

Aline Simone Paula Rodrigues Alto Santo, CE, por carta
Receba a newsletter Mundo jovem Fechar
Envie para seu amigo Fechar

Você pode compartilhar o conteúdo que estava lendo com amigos, familiares ou colegas. Basta preencher os campos abaixo!