Como fazer um júri simulado

Dinâmica que pode ser aplicada para trabalhar diversas temáticas.

Júri simulado, como o nome diz, é a simulação de um tribunal judiciário, em que os participantes têm funções predeterminadas.

Formam-se três grupos: dois grupos de debatedores (com mesmo número de pessoas) e uma equipe responsável pelo veredicto (o júri popular - com um número menor de componentes, entre três e seis alunos, de uma sala com 30, por exemplo).

O papel do professor é o de coordenar a prática, delimitando o tempo para cada grupo defender sua tese e atacar a tese defendida pelo grupo oponente.

O processo inicia-se com o lançamento do tema proposto pelo professor.

Os alunos se preparam previamente para defender o tema com argumentos convincentes. Dar um tempo inicial para que os alunos socializem suas informações no grupo, antes do início do debate. A partir daí, cada grupo lança a sua tese inicial, defendendo seu ponto de vista na medida em que surjam réplicas e tréplicas.

O professor, como coordenador da atividade, também pode lançar perguntas que motivem o debate, evitando fornecer respostas ou apoiar alguma das posições.

Por fim, cada grupo tem um tempo para suas considerações finais.

O júri popular, então, reúne-se para socializar seus apontamentos, feitos ao longo da atividade, e decretar o veredicto.
 

Etapas do júri simulado

Tempo (aula de 60 min)

  • Socializar as ideias nos grupos - 10 min
  • Defesa da tese inicial - 10 min (5 min para cada grupo)
  • Debate entre grupos - 20 min
  • Considerações finais - 10 min (5 min para cada grupo)
  • Veredicto - 5 min

Objetivos

  1. Estudar e debater um tema, levando todos os participantes do grupo a se envolver e tomar uma posição.
  2. Exercitar a expressão e o raciocínio.
  3. Desenvolver o senso crítico.


Funções dos participantes

Juiz: Dirige e coordena o andamento do júri.

Advogado de acusação: Formula as acusações contra o réu ou ré.

Advogado de defesa: Defende o réu ou ré e responde às acusações formuladas pelo advogado de acusação.

Testemunhas: Falam a favor ou contra o réu ou ré, de acordo com o que tiver sido combinado, pondo em evidência as contradições e enfatizando os argumentos fundamentais.

Corpo de Jurados: Ouve todo o processo e a seguir vota: Culpado ou inocente, definindo a pena. A quantidade do corpo de jurados deve ser constituído por número ímpar (3, 5 ou 7).

Público: Dividido em dois grupos da defesa e da acusação, ajudam seus advogados a preparar os argumentos para acusação ou defesa. Durante o juri, acompanham em silêncio.

Passos

  1. Coordenador apresenta o assunto e a questão a ser trabalhada.
  2. Orientação para os participantes.
  3. Preparação para o júri.
  4. Juiz abre a sessão.
  5. Advogado de acusação (promotor) acusa o réu ou ré (a questão em pauta).
  6. Advogado de defesa defende o réu ou a ré.
  7. Advogado de acusação toma a palavra e continua a acusação.
  8. Intervenção de testemunhas, uma de acusação.
  9. Advogado de defesa, retoma a defesa.
  10. Intervenção da testemunha de defesa.
  11. Jurados decidem a sentença, junto com o juiz.
  12. O público avalia o debate entre os advogados, destacando o que foi bom, o que faltou.
  13. Leitura e justificativa da sentença pelo juiz.
     

Avaliação

  • Que proveito tiramos da dinâmica?
  • O que mais nos agradou?
  • Como nos sentimos?
  • O que podemos melhorar?
Giélia Silva Macedo Assistente Social e professora de Sociologia no Colégio Modelo, Itapetinga-BA.
Receba a newsletter Mundo jovem Fechar
Solicitação enviada Fechar
Envie para seu amigo Fechar

Você pode compartilhar o conteúdo que estava lendo com amigos, familiares ou colegas. Basta preencher os campos abaixo!